BirdWatching na Fazenda dos Cordeiros - Conheça mais sobre essa prática

Categoria:

BirdWatching - A Prática Internacional de Observação de Pássaros faz sucesso na Fazenda dos Cordeiros

Vamos passarinhar? Ou seria melhor dizer; vamos praticar o rico e crescente mundo do BirdWatching?

A observação de aves, passarinhando ou como dizem os ingleses birdwatching, está presente nos quatro cantos do mundo, com milhares de adeptos da chamada “ciência-cidadã”.

Observar aves em seu habitat natural, sem caçar ou interferir na rotina dos animais, é uma ação sustentável, preconizada pelo Turismo EcoRural para impulsionar e valorizar a diversidade das matas.

Passarinhar pela Fazenda dos Cordeiros é incluir pessoas de diferentes idades, sozinhas ou em grupos, que não medem esforços para marcar mais um pássaro na sua lista de conquistas. Os passarinheiros de carteirinha adoram comemorar e divulgar os chamados lifers, quando observam pela primeira vez uma espécie livre na natureza.

Na Fazenda dos Cordeiros a prática do “passarinhar” tem se tornado cada vez mais atraente e forte, promovendo, na comunidade local:

  • educação;
  • conservação da natureza;
  • geração de renda complementar;
  • reconhecimento territorial como referência para observação de aves.

Silva Jardim é famosa por ser a terra do Mico Leão Dourado (Leontopithecus rosalia), endêmico em suas florestas, assim como a Preguiça-de-Coleira (Bradypus torquatus), o Papagaio Chauá (Amazona rhodocorytha) e a Araponga (Procnias mudicolris), espécies raras, ameaçadas de extinção, que existem apenas nos fragmentos de floresta de Mata Atlântica remanescente aqui em Silva Jardim (https://www.taxeus.com.br/lista/11191).

Estudos da EMBRATUR revelam um crescente movimento de observação de aves em diferentes regiões, de norte a sul do país. São cada vez mais cidades, parques nacionais, estaduais, municipais e RPPNs – Reservas Particulares do Patrimônio Natural – que atraem observadores de pássaros do país e do mundo.

Na totalidade, são cerca de 10.000 espécies de aves identificadas no mundo e o Brasil é o segundo maior país em diversidade de aves. Nas terras brasileiras, são registradas 1.919 espécies de aves, sendo que 166 delas são consideradas globalmente ameaçadas de extinção. Na Fazenda dos Cordeiros em torno de 60 espécies já reconhecidas pelo som que emitem ou já avistadas.

O birdwatching começou como atividade turística nos anos 60 (https://virtude-ag.com/birdwatching/ ), quando, além dos biólogos, ornitólogos, cientis­tas e pesquisadores, os primeiros aficionados pela prática começaram a visitar lugares remotos para conhecer e observar espécies raras de pássaros.

Hoje em dia essa prática promove turismo sustentável e limpo, Turismo EcoRural, exigindo áreas conservadas e educação sobre o tema. Não raro, os observadores vão recolhendo o lixo que eventualmente encontram pelas trilhas, na prática sueca chamada de plogging. É um turismo que agrega alto valor às localidades e consegue gerar recursos para conservação e desenvolvimento da comunidade local.

O biólogo Andre Micaldas amigo e parceiro está trabalhando na atualização e identificação cientifica dessas aves, tais como o Azulão (Cyanocompsa­brissinii), Papo-branco ou Choca da Taquara (Biatasnigropectus), Tapaculo-pintado (Psilorhampusguttatus) e o Tiê Sangue (Ramphocelus bresilius).

Considerando a atividade turística democrática, atraindo de crianças a adultos, oferecendo um contato mais profundo com a natureza e com opções de roteiros de baixo esforço, podemos afirmar que passarinhar:

  • intensifica relações interpessoais
  • possibilita compartilhamento do conhecimento
  • promove a socialização
  • oportuniza a interação com pessoas de outros círculos de relacionamento
  • abre oportunidade para fazer novos amigos

Os turistas observadores de pássaros, são pessoas com bom nível educacional e econômico e são interessadas também em outros animais silvestres. A dobradinha com a AMLD – Associação do Mico Leão Dourado para observação dos Micos tem funcionado muito bem com boas experiencias com a turma no BirdsRio, uma empresa que organiza clubes observadores de aves ou de natureza e busca inspiração para via­gens em livros, revistas e sites especializados, além de recomendações de outros observadores.

Segundo a Avistar Brasil, uma ONG que organiza o maior evento de observação de pássaros da América Latina, no último levantamento, de 2017, foram contabilizados mais de 35.000 observadores de aves só no Brasil, com potencial é chegar a 100 mil observadores ainda esse ano, 2020.

Na Fazenda dos Cordeiros usamos a pratica da observação de aves como indicador da qualida­de ambiental. Abundantes em quantidades, cores, formas e vozes, as aves apresentam uma variedade de respostas em distintas condições ambientais, reagindo a qual­quer desequilíbrio em seu ecossistema.

Através de técnicas simples e de baixo custo, vimos, nos últimos anos recuperando nossas matas ciliares e já é possível moni­torar o retorno dos Tiê Sangue. Ao longo do tempo, é possível identificar desvios de com­portamento decorrentes de transformações ambientais, como qualidade do ar, regulação do clima e qualidade da água. As aves também desempenham um papel ecológico importan­te no meio ambiente, como a dispersão de sementes, a poli­nização e o controle de pragas entre outros.

A Fazenda dos Cordeiros disponibiliza seus dados sobre aves e meio ambiente de modo geral para serem usados em re­latórios de sustentabilidade de empresas, como indicadores de desempenho de biodiversidade. Podem, também, servir como informações de gestão, impacto e desempenho ambiental para os questionários de avaliação dos índices de sustentabilidade em Bolsas no mundo, como o americano Dow Jones de Sustentabilidade e o Índice de Sustentabilidade Em­presarial BM&FBOVESPA.

Estamos articulando uma parceria com a Bird Life International, uma das mais relevantes entidade, mundialmente reconhecida, com presente em mais de 100 países, difun­dindo e fomentando políticas e programas de conservação, informações, conhecimentos e experiências.

No Brasil a SAVE – Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil, de­senvolve um trabalho de consultoria e apoio aos governos fe­deral, estadual e municipal e seus órgãos ambientais, visando à criação de unidades de conservação em áreas críticas para a conservação de aves e da biodiversidade em geral.

O Inea (Instituto Estadual do Ambiente) tem programas como o Passarinhar Rio, para estimular a prática de observação de aves como uma ferramenta de conservação por meio da visitação nas unidades de conservação do Estado do Rio de Janeiro.

O Observatório de Aves – Instituto Butantan (OA-IBu) é o primeiro observatório de aves brasileiro, uma ini­ciativa coordenada pelo Centro de Desenvolvimento Cultural e pelo Museu Biológico do Instituto Butantan. Fundado em 2014, recebe cerca de 300 mil visitantes anuais que frequentam o Instituto.

Para os passarinheiros iniciantes existe o site Wikiaves que é um grande mobi­lizador da comunidade brasileira de observadores e fornece um manancial de registros fotográficos e sonoros, postados diariamente de todas as partes do Brasil, com mais de 2 milhões de fotos e 200 mil registos de quase 2 mil espécies diferentes, ca­dastradas por mais de 30 mil passarinheros usuários do site.

Passarinhar na Fazenda dos Cordeiros promove momentos únicos de atividade ao ar livre e contato com a natureza. Nossos circuitos de observação são percorridos a pé, de forma tranquila, buscando não interferir no ambiente. Atualmente está em curso uma parceria com jovens da comunidade local no Circuito EcoRural do Imbaú, que pode ser percorrido de bicicletas.

Passarinhar é um aprendizado constante. Quanto mais frequente a prática, mais habilidoso se torna o obser­vador, que vai desenvolve senso de percepção ao longo do tempo.

Nossas dicas para uma observação de sucesso:

  • O SILÊNCIO É OURO: O cuidado deve ser total, para não espantar aves com conversas e caminhadas barulhentas, em especial em terrenos com folhas secas. O som dos pássaros deve reinar no ambiente
  • CONHEÇA OS BÁSICOS: Para os que estão iniciando na prática, a observação começa pelas aves mais comuns, como bem-te-vi, sábia-laranjeira, beija-flor e periquito.
  • MANTENHA CERTA DISTÂNCIA: Aves são sensíveis e se estressam facilmente se sentirem ameaçadas. Os filhotes nunca devem ser tocados, mesmo que sozinhos.
  • UM BOM DISFARCE AJUDA: Em uma área florestal, as roupas devem ser discretas, para não destoarem na natureza. Os tons de verde mais escuros são bons para mata, enquanto os tons mais claros de verde ou cáqui são adequados para baixadas e campos. As chances de conseguir ver e fotografar os pássaros aumentam quando a natureza camufla.
  • O HORÁRIO DE OBSERVAÇÃO É FUNDAMENTAL: Os pássaros diurnos estão em atividade mais intensa entre 5 e 9 da manhã. Por isso, um bom observador precisa de disposição para acordar cedo, já as aves noturnas, como corujas, bacuraus e urutaus, costumam ser observadas após as 20 horas.

A Fazenda dos Cordeiros é birdersfriendly, pois estamos preparados para servir o café da manhã básico bem cedinho e no retorno estaremos esperando você com o nosso tradicional café da roça, afinal, a conquista foi grandiosa e precisa ser celebrada.

Algumas ferramentas úteis para observação de aves

  • EQUIPAMENTOS SONOROS: Aparelhos de play-back e MP3 permitem gravar e reproduzir os cantos de pássaros, tanto para registro do achado como para atração de espécies na observação.
  • BINÓCULOS: São indispensáveis. O ideal é que promovam um aumento da imagem entre 8 e 10 vezes e tenham lentes de diâmetro maior, pois são mais fáceis de focar, o que ajuda a encontrar a ave em meio a folhagens, antes que ela voe.
  • APLICATIVOS: Já existem vários aplicativos dedicados a Birdwatching que trazem informações, fotos e até ajudam a identificar as aves pelo seu canto, como alguns acima indicados.
  • MÁQUINAS FOTOGRÁFICAS: A máquina digital facilitou a vida dos observadores. São mais silenciosas, não afastando os pássaros. O zoom digital nem sempre funciona bem, por isso o melhor são lentes com zoom real superior a 400 mm. Um flash adicional pode ser necessário em matas mais fechadas; entretanto, deve apenas iluminar o ambiente, sem dirigir a luz diretamente às aves, para não as assustar.

Agora que você já sabe as dicas e as ferramentas adequadas para passarinhar ou birdwatching, que tal praticar aqui na Fazenda dos Cordeiros e de quebra ainda ver o Mico Leão Dourado de pertinho?

Uma fazenda que Recebe!

Contatos

 reservas (@) fazendadoscordeiros.com.br
   +55 (21) 99640.6059 (Whatsapp)
   Estr. João Carvalho, 2800 - Imbau, Silva Jardim - RJ, 28820-000, Brasil

Rede Social